UNINDO FORÇAS PELA DATA-BASE

LUTA pela DATA-BASE

Na manhã de 28 de março de 2019, SINDIPOL Paraná – integrando o FES ( Fórum constituído por diversos sindicatos representantes dos Servidores Públicos do Paraná) – encontrou-se com o governo do Paraná, precisamente com secretário da SEAP, Reinhold Stephanes, para tratar da reposição inflacionária anual, direito constitucional do trabalhador, mais conhecido com DATA-BASE.

Há quase 4 anos o trabalhador servidor público do estado do Paraná tem amargado nos seio de suas famílias – crianças, idosos, familiares com necessidades especiais e/ou tantos outros seres humanos dependentes, frise-se SERES HUMANOS, quem sabe assim o Governador Ratinho se lembre que está tratando com VIDAS HUMANAS – um fardo extremamente pesado, deixado pelos governos Beto Richa e Cida Borghetti, que fora o desrespeito a um DIREITO consolidado e essencial ao bem estar das famílias dos Funcionários Públicos do Poder Executivo: Direito Constitucional à DATA-BASE.

Vale sempre lembrar – permitam que pausemos o assunto do encontro com governo –  que apenas os servidores públicos do executivo não tiveram seu DIREITO à reposição da inflação. Servidores do Judiciário, Ministério Público e da ALEP (casa dos deputados estaduais) receberam e recebem a DATA-BASE sem precisar entrar em confronto com o governo do Paraná.

A DATA-BASE, é de bom tom esclarecer, NÃO É aumento de salário como os governantes costumam fanfarronar e tentar fazer a população acreditar, tendo como intenção maldosa, nefasta de distorcer informações a respeito de um direito que é dado a todo trabalhador anualmente, tentando colocar a população contra o servidor público, fazendo seu costumeiro joguete, distraindo a atenção do povo com uma mentira, tirando de seu colo a responsabilidade de cumprir as leis e seus deveres. Costumeiramente criam uma cortina de fumaça (v.g., uma mentira que atraia e coloque o povo em engano), o que propicia aos governantes atuarem de maneira não republicana sem serem muito incomodados. A DATA-BASE visa recompor a perda, o desgaste inflacionário que corrói o salário de todo trabalhador, seja ele servidor público ou da iniciativa privada; é um DIREITO de TODOS.

Esperamos que o Governo Ratinho não seja a continuidade de Beto Richa, trazendo e propiciando uma nova forma de agir, que trará o respeito às leis e principalmente o devido e essencial cuidado às pessoas. Vale mais uma vez lembrar, Sr. Governador, trata-se de VIDAS, de SERES HUMANOS, que merecem sua atenção como governador, que será cobrado.

Bem, uma vez que colocamos um pouco de luz sobre a DATA-BASE, voltemos ao assunto encontro com o governo, na figura do secretário da SEAP.

A exposição do FES fora extremamente profissional, sem “achismos”. E para tanto contamos com o brilhante trabalho do economista CID CORDEIRO SILVA, que expôs todo cenário econômico e financeira do estado, tendo por base dados oficiais do próprio governo. Essa exposição técnica, previamente à entrega da pauta de reivindicação, permitiu construir um posicionamento racional e plausível, demonstrando ao governo que há possibilidade real de entendimento e de acordo sobre o pagamento da DATA-BASE.

Documento de reivindicação fora entregue ao secretário, embasado com fartos dados e análises da capacidade financeira do Governo cumprir com seu dever e do Sr. Governador Ratinho cumprir com suas promessas de campanha, devidamente registradas, dentre as quais enfaticamente disse que iria sentar com os representantes dos servidores públicos e traçar um cronograma de reposições salarias. Disse mais, que não entendia o porquê tais negociações tinham que ser todo início de ano, que em seu governo haveria uma projeção já para os 4 anos de gestão, o que evitaria paralisações e/ou protestos totalmente evitáveis pelo método racional de gerir.

Durante o encontro com o secretário de governo, foram debatidos os vários aspectos que compõem o atual momento de impasse sobre a DATA-BASE. Cobrou-se o inexplicável e desconfortante silêncio do Governador Ratinho sobre o tema, bem como alerta sobre a proximidade do mês da incidência da DATA-BASE (maio).

Presidente Michel Franco, do SINDIPOL –Pr, advertiu o secretário: “ o governo tem que entender que maio já está aí e que as bases, a categoria está em polvorosa, não suporta mais esperar ser tratada com o devido respeito. Haverá reação….”

O que foi corroborado com a fala da coordenadora do FES, Marlei Fernandes: “ nós não vamos suportar mais um ano de desrespeito, sem a DATA-BASE… não há possibilidade…”

Admitiu-se, por parte do secretário de governo, que a data-base atrasada é uma situação  muito delicada e emergencial, reconheceu o impacto negativo do calote dos governos anteriores (Cida e Richa) e que levará ao governador a reivindicação do reajuste, bem como afirmou que o Governador está ciente desse seu compromisso de campanha com as categorias. Agendou para a segunda quinzena de abril o posicionamento efetivo para desatar esse nó.

SINDIPOL reafirma seu compromisso com seus FILIADOS de atuar incessantemente em todos os fronts com seus diversos aliados, sempre em busca da otimização de forças para um melhor resultado. Contamos com a mobilização de seus FILIADOS e simpatizantes numa eventual CONVOCAÇÃO PARA LUTA.

Deus esteja com todos.

Um grande abraço e muito OBRIGADO.

Michel Franco Presidente SINDIPOL Paraná

Verifique Também

DATA-BASE – Segundo round

Saudações Policiais Civis De antemão, peço que relevem os eventuais erros no texto a seguir, …

Deixe uma resposta